ASSINE A NEWSLETTER

Workstation x Notebook

DESKTOP, WORKSTATION OU NOTEBOOK – QUAL A MELHOR OPÇÃO NO BIM?

Workstation x Notebook
Fonte: SpBIM

Atualmente, podemos observar que os notebooks são extremamente comuns no dia a dia de qualquer pessoa é possível identificar o uso em locais como uma cafeteria, universidades, bibliotecas entre outros. A maioria dos brasileiros buscam adquiri-los ao em vez de um desktop, mas há poucos anos, os desktops dominavam o mercado, e agora estão perdendo, aparentemente, seu espaço. Neste artigo, nós da SPBIM iremos elencar pontos positivos e negativos, nós iremos ajudá-los a determinar qual dos dois é o melhor para seu perfil de usuário principalmente com o uso do BIM.

DESKTOP / PC X NOTEBOOKS

Quando falamos em desktops, a primeira imagem que nos vêm à cabeça é a de uma tela, um mouse, um teclado e um gabinete, porém, devemos lembrar que o computador em si e os componentes referentes à o seu desempenho estão localizados somente no gabinete, e os demais equipamentos devem ser adquiridos separadamente, sendo isso um dos pontos onde PC’s e Notebooks divergem.
Essa característica, por mais simples que pareça, já demonstra um grande diferencial entre ambos, pois enquanto é possível o upgrade desses componentes em um desktop, como a compra de um monitor maior ou a de um teclado mais ergonômico, o notebook está limitado a manter o seu tamanho de tela e teclado de fábrica.
Por mais que o notebook permita que o usuário conecte mais telas e um outro teclado, o usuário estaria subutilizando os seus equipamentos, o que seria considerado um gasto a mais, podendo ser eliminado com uma melhor identificação das necessidades do usuário anterior à compra do computador. Porém, também existem pontos positivos nos notebooks, o maior deles é a sua mobilidade, pois podem ser levados facilmente para todos os ambientes, e com a facilidade de conexões 4G através das operadoras de telefonia, permite a conexão com a internet em qualquer lugar.

Entrando mais a fundo na comparação entre Desktop e Notebook, iremos elencar os principais tópicos que dão as diretrizes para a escolha entre eles e que cada usuário deve utilizar para identificar suas necessidades.

Balanca workstantion ou notebook
Fonte: SpBIM

CUSTO

Um dos principais pontos que guiam a escolha de qualquer compra em nossas vidas é o custo, e com certeza aqui não seria diferente. O custo, quando falamos de computadores, variam bastante de acordo com as especificações desejadas, mas deixando um pouco de lado a questão do desempenho, e focando somente nas diferenças entre Desktop e Notebook, temos algumas divergências, mesmo tratando-se das mesmas especificações. Um Notebook com as mesmas especificações de um Desktop, pode facilmente possuir um valor mais elevado, pois existe um número maior de fabricantes de componentes para Desktop do que para Notebooks, o que diminui a variedade de componentes aplicáveis aos Notebooks, que por consequência, aumenta os preços dos existentes.

MOBILIDADE

Como já comentado acima, os notebooks ganharam o mercado graças a sua portabilidade, pois, por mais que os Desktops também são equipamentos que podem ser alterados de lugar, a mobilidade dos notebooks é consideravelmente menor que a dos Notebooks, pois são equipamentos maiores, mais pesados, que possuem uma certa quantidade de cabos e componentes externos.  Se pensarmos nas obras, o notebook, celulares e tablets são os recursos mais utilizados devido a portabilidade.

ATUALIZAÇÕES / MANUTENÇÕES

Um dos pontos positivos do Notebook, comentado acima, é a sua mobilidade graças a seu tamanho compacto, porém, existe um malefício nesta característica, devido a seu espaço físico reduzido, os componentes tornam-se muito específicos entre os fabricantes, o que acaba impossibilitando o upgrade de alguns componentes.

Os únicos componentes de hardware que conseguem ser trocados em um Notebook são as memórias RAM, o HD e possivelmente permitem a inserção de um SSD. Por outro lado, o Desktop, por sua maior dimensão, possui um maior espaço para seus componentes, o que diminui sua especificidade e portanto possui uma maior gama de modelos de componentes. Devido a essa maior gama de opções, os desktops proporcionam uma enorme facilidade para a troca / upgrade de componentes.

Notebook
Fonte: SpBIM

USOS ESPECÍFICOS

Alguns usuários necessitam de componentes com um desempenho superior aos comuns, muitas vezes arquitetos e engenheiros, em projetos, cientistas, em cálculos, ou até mesmo usuários comuns, para o lazer através de jogos. Nesses casos, existem notebooks turbinados com placas de vídeo dedicadas a esses usos, porém, seu desempenho não é comparável aos das placas de vídeo de desktops. Isso se dá, pois as placas de vídeos com um desempenho maior, necessitam de mais energia, e os desktops permitem o upgrade das fontes de alimentação, possibilitando assim um upgrade em suas placas de vídeo. No entanto, os notebooks possuem suas fontes de energia soldadas em suas placas mães, o que torna a sua troca não aconselhável. Sendo assim, o upgrade de placas de vídeo em notebooks é limitado pela capacidade de energia exigida pela placa de vídeo e potência fornecida pela fonte de energia vinda de fábrica e pelo espaço para refrigeração nos notebooks por serem compactos.

Após a apresentação das principais características que devem ser analisadas no momento da escolha entre Desktops e Notebooks, o usuário deve identificar com atenção quais são suas necessidades e assim escolher o modelo de equipamento.
Ao analisar os softwares que serão utilizados no BIM como é o caso do Revit, Archicad, Autocad, Sketchup, Vectorworks, Lumion, Twinmotion, Matterport, Recap, Illustrator, QI Builder, Synchro, Trimble Connect, Revit MEP, Ms Project, Solibri, Grasshopper, Dynamo, Formit, Infraworks, Rhinoceros, Civil 3D, Navisworks.

DESKTOP APRIMORADO: WORKSTATION

Workstation
Fonte: SpBIM

Como mostrado anteriormente, os Desktops são os computadores que usualmente ficam fixos em determinados lugares e possuem alguns pontos positivos e negativos em relação aos notebooks. Porém, iremos conhecer uma outra categoria de Desktops, os Workstations.  Os Workstations (Estação de Trabalho) podem ser consideradas Desktops de altíssimo desempenho, pois suas especificações são muito superiores à de Desktops comuns. Um bom exemplo de usos de Workstations é em animações cinematográficas como Jurassic Park ou Shrek, que exigem máquinas superpotentes para serem produzidas e ligadas com diversas placa de vídeos e com um poder de processamento maior. Os Workstations são considerados equipamentos superiores pois comportam um número maior de componentes, o que aumenta seu desempenho. Por exemplo, um Workstation possui a capacidade de comportar até 16 memórias RAM’s, enquanto um Desktop de uso pessoal, comporta 4 memórias RAM’s, isso não significa que são computadores ruins, mas sim que são produzidos para a realidade de uso de usuários comuns. Os custos de Workstations são superiores a Notebooks e Desktops.

CONCLUSÃO:

Com todos os pontos expostos, nós da SPBIM acreditamos que não exista uma indicação de melhor computador, ou melhor configuração, o que existe são necessidades distintas entre usuários e que com o conhecimento técnico necessário podem formar assim a melhor configuração para atender os usos que serão propostos. As principais perguntas que deverão fazer seria:

  • Nicho de mercado/atuação (Interiores, residencial, corporativo, comercial, urbanismo, paisagismo, infraestrutura e etc);
  • Escala de projeto;
  • Renderização (Se haverá ou não);
  • Investimento de curto ou longo prazo
  • Portabilidade e mobilidade

Para usuários que gostariam de possuir esse conhecimento, a SPBIM oferece um curso de TI voltado a essas especificações, que auxilia usuários a identificarem o seu perfil e quais o desempenho necessário para suas máquinas e entender a infraestrutura necessária para atuar no BIM e na implantação nos escritórios de projetos e construtoras.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no print
Print

Deixe um comentário

ASSINE A NEWSLETTER